HIPNOPARTO E ACOMPANHAMENTO GRAVIDEZ

Mãe e bebé em harmonia

Durante a gravidez, a utilização de hipnose melhora muito a qualidade de vida do feto e da gestante. Indicada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como prática complementar, a Hipnose tem sido utilizada cada vez mais durante o processo de gestação, parto e puerpério. Na Inglaterra e na Austrália vários estudos são conduzidos com o apoio das redes públicas de saúde para observar melhor como a Hipnose funciona e a sua eficácia neste período da vida da mulher.


A Hipnose é alcançada trabalhando-se com um relaxamento que gradualmente vai sendo aprofundado, durante o qual a grávida permanece acordada, ouvindo tudo, mas num estado tão agradável que é possível aceder diretamente ao inconsciente, trabalhando-se cada aspecto desejado ou necessário. A linguagem é utilizada de forma positiva, com o hipnoterapeuta conduzindo a grávida durante esta experiência, para alcançar os resultados desejados. A grávida lembra-se perfeitamente de tudo o que foi dito, e a mente inconsciente trabalha as transformações ou efeitos corporais desejados.


São várias as vantagens da hipnoterapia durante a gravidez:


1) Controlo do peso corporal


As alterações hormonais que acontecem na gravidez também alteram muito o apetite. Sem contar que muitas grávidas recorrem à comida como uma forma de acalmar o  nervosismo, stress ou ansiedade de períodos difíceis. A Hipnose actua diminuindo muito a ansiedade que é uma das causas principais da compulsão pela comida. Aumenta também a motivação e a disciplina, melhorando o paladar e reprogramando hábitos e comportamentos alimentares. Como a Hipnose trabalha diretamente o inconsciente, consegue reprogramar a grávida para uma alimentação mais saudável, ajudando a atingir o ganho de peso ideal. É um suporte excelente para reeducação alimentar durante a gravidez e para processos de emagrecimento ou de limitar o consumo excessivo de refrigerantes ou doces – e até mesmo diminuir os impulsos estranhos por alguns alimentos que podem surgir nesta altura da vida de uma mulher.


2) Diminuir as dores durante a gestação e o parto


A Hipnose tem um excelente resultado na gestão da dor, sejam essas dores agudas ou crónicas Depois do despiste e tratamento das causas orgânicas, consegue-se através da hipnose um suporte para controlar e diminuir muito as dores que surgem durante a gestação de forma natural. É possível diminuir a intensidade e até diminuir a dose ou retirar a necessidade de medicamentos analgésicos ou anestésicos. A Hipnose, que ao ser ensinada durante as consultas à grávida é na verdade Auto-Hipnose, trabalha a percepção da dor que chega ao cérebro e pode ser utilizada também durante o momento do parto para relaxar a musculatura, tendo também um efeito anestésico. Há vários estudos realizados que atestam a eficácia da hipnose durante o parto.


3) Trabalhar medos, fobias e fantasias durante a gravidez


Muito do que se passa durante a gravidez depende directamente da ideia, das crenças,  que se têm desse período. Muitas das crenças, mitos e fantasias persistem por várias gerações e fazem com que a gestante passe por medos que são infundados. Quem nunca ficou preocupada por causa de algo que a avó ou a vizinha contaram, ou de alguma história que leu? A Hipnose consegue trabalhar esses pensamentos, ressignificando tudo o que se manifesta em forma de medos e fobias, permitindo que o cérebro fique mais focado e tranquilo. Na hipnoterapia é possível criar expectativas positivas e diminuir bastante a ansiedade e o nervosismo que acompanham a gravidez e a ideia do parto.


4) Insónias


Algumas grávidas passam por períodos de alteração da qualidade e de quantidade do sono. As mudanças hormonais e fisicas no corpo da mulher podem de facto tornar o sono muito leve ou agitado. A Hipnose trabalha o relaxamento profundo, levando a um sono cada vez mais tranquilo. É uma excelente aliada contra a insónia, a partir do momento em que a grávida aprende a ficar tranquila e relaxada de uma forma rápida, sentindo-se protegida.


5) Controlo de vómitos (Hiperemese Gravídica)


Aproximadamente uma em cada 500 gestantes sofre com vómitos principalmente no início da gravidez. De forma a melhorar o sistema gastrointestinal, a Hipnose tem sido utilizada para controlar as náuseas e os vómitos e os pensamentos negativos associados à alimentação durante a gravidez (e também para efeitos adversos de tratamentos como o da quimioterapia). Recentemente, na Inglaterra, Kate Middleton recorreu à hipnoterapia para melhorar os vómitos severos que tinha durante a gravidez.


6) Diminuição e tratamento da Depressão Pós-Parto


A utilização da Hipnose é muito eficiente para melhorar a qualidade de vida, diminuir o número de complicações causadas pela ansiedade e ter assim um bébé mais saudável. Num estudo de 2001, o psicólogo Paul Schauble comprovou que além disso houve também a melhoria na pressão arterial, nos níveis de stress, no controle das oscilações de humor e diminuição da depressão pós-parto. Neste caso, o trabalho é focado em aumentar a confiança e a auto-estima da futura mãe, fortalecendo o elo de ligação com o bebé, de forma centrada e tranquila.


Finalmente, é muito importante lembrar que o sucesso das sessões depende muito da habilidade do terapeuta, da empatia entre terapeuta e gestante e da sua receptividade e entrega a todo o processo.


A preparação para o parto com hipnoterapia  inicia-se normalmente na 30ª semana. Poderá iniciar-se antes ou depois, caso haja algum quadro de ansiedade/depressão ou outro factor que coloque maior tensão sobre a futura mãe.


A primeira consulta é mais extensa (2h) pois será a recolha de informação que permitirá um trabalho personalizado e perfeitamente enquadrado nas expectativas e necessidades apresentadas. Trata-se pois de uma terapia única e irrepetível, para si e para o seu bebé.


Aconselho um mínimo de 6 consultas, excluindo a primeira, e uma cadência de uma consulta por semana, de forma a podermos trabalhar bem todas as questões inerentes a este momento tão importante das nossas vidas.


Nos casos em que o acompanhamento se inicia mais cedo, a cadência das consultas poderá ser quinzenal.


A penúltima e última consultas poderão ser com a presença do pai do bebé ou da pessoa que a irá acompanhar no dia do parto, de forma a que esteja por dentro do processo.


São facultadas gravações em mp3 que devem ser ouvidos entre sessões, bem como material informativo que for adequado ao seu caso. Estou também sempre disponível  para qualquer questão ou acompanhamento que seja necessário!


O valor das sessões depende do número de sessões e se são adquiridas em Pack ou pagas individualmente.

Quanto à minha formação especifica nesta área, foi feita com Teri Gavin-Jones (Colchester Hospital University, UK) e Sharon Rapsey (NHS Midwives - Bristol)

​© Cristina Fernandes

(+351) 910 828 320

©2013 por Cristina Fernandes